Nossa história

Home Nossa história

Fazenda da Juta

O Instituto Daniel Comboni começou ao acolher crianças e adolescentes informalmente com a chegada das Irmãs Missionárias Combonianas na região por volta de 1985. Ao aumentarem as necessidades e a vulnerabilidade social da população houve a necessidade de formalizar e estruturar o trabalho para um melhor atendimento.

 

Hoje o Instituto Daniel Comboni atende em seus 8 núcleos cerca de 900 usuários entre crianças, adolescentes, adultos e famílias em situação de vulnerabilidade e risco social.

 

Por meio de convênios com a Prefeitura de São Paulo nas áreas de Educação e Assistência Social, garantimos a manutenção de vários projetos há mais de 20 anos atendendo a crianças, adolescentes e adultos de 0 a 59 anos.

Como tudo começou...

No ano de 1992 com a participação da Cáritas Arquidiocesana, iniciamos um trabalho junto á comunidade Santo Antônio e São Sebastião. A população crescia a cada dia. Preocupados com a formação dos jovens e adolescentes surgiu a Escola de Datilografia, com 06 máquinas manuais e 01 elétrica.

 

Em parceria com a PUC, (Pontifícia Universidade Católica) houve muita participação vários jovens ingressaram no mundo do trabalho na época, porque bastava ser um bom datilografo um ótimo auxiliar de escritório. Além deste aprendizado, uma boa formação, facilitou o ingresso no mundo do trabalho.

 

Com a explosão da Informática, que já acompanhava os trabalhos sociais e as comunidades preocupadas, com o futuro: meios de comunicação, informática, globalização etc. sentiu a urgência de buscar parcerias com a P.M.S.P, (Prefeitura Municipal de São Paulo) Associação dos Moradores da Fazenda da Juta, SENAI e outras Entidades legalizadas perante os Órgãos Públicos.

 

Iniciamos com coragem os trabalhos. A experiência deu certo e o convênio foi celebrado. Lembramos sempre a frase deste grande profeta: “Salvar” a África com a África e Brasil com o “Brasil”.

Luta, trabalho e construção

A construção do bairro Fazenda da Juta, bem como a construção do Projeto inicial do Instituto Daniel Comboni, nos anos 80 administrado totalmente pelas Irmãs Combonianas, foi uma constante luta e doação por parte dos moradores que atuaram de forma incansável para terem moradias dignas e bem-estar social no bairro que tanto sonharam e conseguiram construir.

  • • Luta pelas terras
    • Lutas pela saúde
    • Luta pela dignidade
    • Luta pela segurança
    • Luta pelo asfalto
    • Luta pela água
    • Luta pela eletricidade
    • Luta por escolas
    • Luta por transporte
    • Luta para alcançar a dignidade humana

Regularização da Fazenda da Juta

Mais de 28 anos após a promessa de regularização dos terrenos, moradores de algumas áreas conquistaram a oportunidade de emitir a escritura de seus imóveis. Muitos moradores ajudaram a construir a história do Instituto Daniel Comboni que desde a década de 80, acompanha e faz parte das lutas do povo da juta por dignidade e moradia.

1992 - Gazeta de Vila Prudente

História da Juta é tema de Tese de Doutorado

História da fazenda da juta é transformada em tese de doutorado pela Dra. Deocleciana Ferreira, que ao realizar um profundo estudo sobre o bairro, detalha as lutas e conquistas do povo em prol de moradia e dignidade.

Deocleciana Ferreira

Coordenadora Geral do Instituto Daniel Comboni, Mestre e Doutora em Serviço Social pela PUC de São Paulo. Foi mutirante na fazenda da juta desde o início das lutas por direitos básicos aos moradores e até hoje atua de forma concisa a fim de proporcionar novas conquistas à região, bem como a manutenção de todos os direitos já adquiridos em prol do povo.

 

A Fazenda da Juta é um bairro localizado às margens da Avenida Sapopemba, umas das maiores da América Latina. Via responsável por ligar a zona rural ao centro da cidade, no passado.

 

A fazenda da Juta possui mais de 35 mil moradores, o que torna o bairro um local de grande proporções e com muitas histórias a serem contadas.
Palco de lutas em busca de moradia e conquistas de terras, o local hoje conta com muitas moradias feitas por meio de mutirões.

 

A Pontíficia Universidade Católica de São Paulo confere o título de doutorado à Deocleciana Ferreira, pelo estudo detalhado sobre a história de luta do povo e os desafios enfrentados para a construção do bairro Fazenda da Juta.

 

O Instituto Daniel Comboni atua há 21 anos com serviços socioassistenciais, educacionais e de profissionalização, na região da Fazenda da Juta – São Paulo – Sapopemba, com foco em crianças, jovens e adultos de 0 a 59 anos a fim de proporcionar oportunidades de vivência social e inserção profissional para os moradores do entorno e que fazem parte do campo de abrangência social da entidade.

Foto documentário - Fazenda da Juta

Mais sobre a história da juta

  • Com o auto de regularização o loteamento é considerado bairro, passando a fazer parte do mapa oficial da cidade e os moradores podem registrar seus lotes em cartório…

 

  • O secretário de Habitação e Desenvolvimento Urbano, Marcos Barreto entregou no último domingo (29/08), às 10 h, o Auto de Regularização do loteamento Fazenda da Juta, em Sapopemba. Em consideração à história de luta dos moradores da região, este é o primeiro loteamento da cidade a utilizar este novo instrumento legal.

 

  • O documento emitido pelo Departamento de Regularização do Parcelamento do Solo (Resolo Sehab) e registrado em cartório beneficia 4.304 famílias ou 17.216 pessoas que moram no local.

 

  • Com o auto de regularização, o loteamento passa a ser considerado um bairro e a fazer parte do mapa oficial da cidade. Os moradores também podem, a partir de agora, registrar os lotes em cartório, o que significa o fim do risco de despejo para as famílias que pagaram pela moradia. A Fazenda da Juta possui 3. 311 lotes e área total de 723.954,55 m2.

 

  • A regularização somente foi possível, a partir da aprovação do Plano Diretor, do empenho dos técnicos da prefeitura, da participação da comunidade e do decreto assinado pela prefeita em 22/07/04.Graças ao Plano Diretor foram instituídas as Zonas Especiais de Interesse Social (ZEIS), na cidade, possibilitando que a região cujas características de ocupação são bastante diferenciadas e incompatíveis com a legislação anterior de regularização de loteamentos, fosse aceitável dentro das condições proporcionadas pelas ZEIS.

 

  • Um dos impedimentos era o tamanho dos lotes na Fazenda da Juta que, na maioria, variam de 40 m2 a 125 m2 e as leis de Regularização de Uso e Ocupação do Solo exigiam que os lotes tivessem, no mínimo, 125 m2 cada.

 

  • A Fazenda da Juta considerada Zeis 1, é uma área ocupada por população de baixa renda, em que há interesse público em promover a recuperação urbanística e a regularização fundiária de habitações de interesse social (HIS).
    História

 

  • A ocupação da Fazenda da Juta começou em 1977, mas foi em 86 que ocorreu o maior adensamento. Neste ano, o terreno foi decretado de Interesse Social (DIS), mas por falta de intervenção do poder público, o decreto perdeu a validade em 88.

 

  • Já com infra-estrutura no loteamento, foi constituído em 2003, um conselho gestor formado por uma equipe da Prefeitura e representantes dos moradores e do proprietário para definir as diretrizes do Plano de Urbanização da Fazenda da Juta.

 

  • Em 22 de julho de 2004, foi publicado o decreto no. 45.047, no Diário Oficial do Município, aprovando o Plano de Urbanização. Entre outros itens, o plano define que os proprietários irão outorgar aos moradores que já pagaram seus lotes, os contratos de compra e venda.